B.R.A.V.I.N.G: conceito, definição e vantagens

O conceito de B.R.A.V.I.N.G foi criado e popularizado pela pesquisadora da Universidade de Houston, Brené Brown. Trata-se de um acrônimo que determina sete características comportamentais que a metodologia utiliza para alcançar os resultados desejados. De maneira resumida, o conceito é uma ferramenta de aperfeiçoamento pessoal que tem como objetivo um maior desempenho individual e coletivo dentro da organização. 

Também conhecido como a “anatomia da confiança”, o B.R.A.V.I.N.G é estruturado e aplicado com base nos membros funcionais que integram uma determinada corporação. Compreender as sete características é essencial para aplicar o conceito e assim desenvolver o engajamento e a confiança dentro do ambiente de trabalho.

O que significa cada letra?

B – Boundaries (limites)

Limites são fronteiras e nem sempre é recomendado atravessá-los. Para uma relação de confiança entre colaboradores, os limites são essenciais, uma vez que existem níveis distintos de intimidade e o espaço pessoal de cada um deve ser respeitado. A partir do estabelecimento dessas regras, os colaboradores passam a se sentir seguros e protegidos, e essa linha passa a ser fundamental para prevenir problemas futuros.

R – Reliability (confiabilidade)

Confiabilidade e confiança andam lado a lado nessa caminhada, pois colaboradores que confiam uns nos outros proporcionam ambientes saudáveis de trabalho. Um time deve confiar em seu gestor, assim como o superior deve contar com a sua equipe na solução de problemas. Promessas cumpridas pelos gestores e objetivos alcançados pelas equipes são sinais de confiabilidade. 

A – Accountability (responsabilidade)

Ter responsabilidade é sinal de presença dentro do dia a dia da empresa. Momentos difíceis e desafios vão e devem acontecer todos os dias, mas a maneira de conduzi-los é que será determinante. Isso se dá pela capacidade de cada profissional em lidar com os próprios erros, de assumi-los e buscar uma solução de maneira técnica e assertiva.

V – Vault (cofre)

Essa letra diz respeito a um conceito mais abstrato. Trata-se aqui de uma confiança em níveis “maiores” entre os colaboradores. Basicamente é a ideia de contar planos, desabafar, confessar e ter a certeza de que o assunto não será exposto para outras pessoas. Essa segurança é essencial para um ambiente de troca entre profissionais e determinante em uma cultura de feedbacks constantes.

I – Integrity (integridade)

Aqui é preciso refletir sobre as práticas morais dentro da própria empresa. A moral e a ética não devem ser abandonadas em prol de quaisquer objetivo, sendo a ilegalidade e a falta de ética as mais nocivas dentro do ambiente de trabalho. 

N – Non-Judgment (não julgamento)

Valorizar a diversidade dentro das organizações é um movimento que vem se fortalecendo nos últimos anos, no B.R.A.V.I.N.G não seria diferente. Ter a diversidade presente no ambiente da empresa é uma maneira de estimular que todos aprendam a respeitar o diferente, seja em questões identitárias, culturais ou no campo das ideias. É desgastante o pré-julgamento sobre colegas, além de ser uma grande perda de tempo.

G – Generosity (generosidade)

Também ligada à diversidade, a generosidade é primordial para garantir um ambiente diverso e saudável. Compreender que os objetivos dentro da empresa são coletivos gera empatia e traz leveza ao clima organizacional. A competitividade negativa é um dos principais problemas enfrentados em determinadas áreas e um bom remédio para combatê-la está aqui nesta última característica do B.R.A.V.I.N.G. 

B.R.A.V.I.N.G e o ambiente organizacional

Com a pandemia muitas empresas começaram a repensar os seus regimes e formas de trabalho. Algumas passaram a adotar o home office, outras o regime híbrido e a flexibilização dos horários, algo que antes era inimaginável em determinados setores. O conceito de B.R.A.V.I.N.G pode funcionar como uma trilha na adaptação desses novos modelos, além de determinar novas práticas para o fomento de um ambiente saudável de trabalho. 

As equipes que utilizam do B.R.A.V.I.N.G enfrentam menos problemas com conflitos, agem de maneira mais assertiva na solução deles e ainda contribuem para um aumento progressivo da produtividade dos profissionais. Solidificar essas relações dentro da organização também facilita o posicionamento dos líderes com os demais colaboradores.

Todo esforço na aplicação dessa metodologia tem como recompensa o reconhecimento da marca como referência em seu segmento. A partir do momento em que os profissionais estão seguros, valorizados, engajados e motivados, eles passam a encontrar soluções para os problemas da empresa de forma criativa e objetiva. Portanto, a aplicação do B.R.A.V.I.N.G é sadia e traz inúmeros benefícios.

Qual o papel do RH no processo de implementação do B.R.A.V.I.N.G?

Sendo essencial não só na implementação desse conceito, o setor de Recursos Humanos (RH) é estratégico para o engajamento dos colaboradores no geral. Em uma cultura que incorpora o B.R.A.V.I.N.G é necessário um planejamento onde serão monitorados os feedbacks, buscando melhorar a qualidade desses repasses e fazê-los de maneira propositiva. Vale ressaltar que essas devoluções são essenciais no relacionamento profissional. 

A gestão de pessoas pode ser facilitada com o conceito de B.R.A.V.I.N.G. Ele faz com que a cultura organizacional fique mais fortalecida e garante o alinhamento de valores, necessidades e demandas importantes dentro da organização em virtude do mercado. Um RH que busca a aplicação dessa metodologia acaba por estimular a criatividade, o engajamento e a produtividade em todas as áreas da corporação.

Como você pôde conferir neste artigo, o B.R.A.V.I.N.G é uma ideia que veio para dar aquela ajuda no ambiente da sua empresa ou no seu desenvolvimento pessoal. A própria pesquisadora e criadora do conceito, Brené Brown, enfatiza que a ideia de confiança está muito atrelada à construção de ambientes de trabalho mais leves e produtivos, sendo a cerne do conceito aqui apresentado. 

—————————

Fontes: Catho, Gupy, Zenklub, Oitchau

Deixe uma resposta